SINDIPREV/SE NAS RUAS CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Um grito unificado contra a proposta de Bolsonaro

23/03/2019 07h:03

A base e direção do SINDIPREV/SE esteve presente no Ato Unificado contra o projeto da Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro que retira o direito à aposentadoria dos trabalhadores com a elevação da idade mínima, inserindo no projeto o fim da previdência pública, que aconteceu neste dia 22 de março.

O início do ato ocorreu na frente da Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso, para fortalecer a campanha pelo “Dia Nacional da água” e chamar a atenção da sociedade para a manobra do Governo Belivaldo Chagas em privatizar a companhia. Às 15:30h, já era grande o número de trabalhadores, sindicalistas e movimentos populares na manifestação que assistiu a brilhante apresentação dos índios Xocós, que também estão sendo prejudicados pela proposta de retirada de direitos do Governo Bolsonaro, através do combate ao projeto de saúde indígena.

Após as falas do presidente do SINDISAN, Sílvio Ricardo, e do Coordenador Geral do SINDIPREV/SE, Joaquim Antonio, o Ato Unificado teve o seu início com a participação de parlamentares, representantes sindicais e dos Movimentos Populares com o início do trajeto pelo centro de Aracaju até o INSS IVO DO PRADO.

Ao longo do trajeto, os trabalhadores do comércio foram se somando à marcha, tornando-a maior e mais importante pela causa e pela rejeição ao projeto Bolsonaro. O presidente da CUT, professor Dudu um dos coordenadores do Ato, esteve dialogando com os trabalhadores do comércio e esclarecendo o projeto nefasto do Governo que acaba a previdência pública, repassando-a aos bancos e Fundos de Pensão, como no Chile onde milhares de trabalhadores recebem menos que 1 Salário Mínimo.

O Ato encerrou em frente ao INSS IVO DO PRADO sob a Coordenação de Joaquim Antonio, coordenador Geral do SINDIPREV/SE, com as falas de diversas lideranças sobre a perda de direitos e o golpe nos trabalhadores brasileiros.

O esquenta para a GREVE GERAL foi um dos maiores ocorridos em Sergipe numa demonstração de unidade e revolta pelos golpes sucessivos contra a classe trabalhadora.

Por: Marcos Jefferson (DRT/SE 376)