AGENDA INTENSA DO SINDIPREV/SE CONTRA ATAQUES DO GOVERNO

Em Sergipe e Brasília o sindicato está atuando

30/03/2019 08h:43

O SINDIPREV/SE participou na semana que se encerra (25 a 29/03), da organização e debates em Sergipe e Brasília, sempre no sentido de contribuir com ações técnicas e políticas no sentido de não permitir o desmonte do Setor Público apresentado pela equipe do Governo Bolsonaro.

Desde o primeiro mês de governo, o Presidente Bolsonaro, através da sua equipe econômica, tem implementado ataques aos direitos e garantias de todos os trabalhadores brasileiros e, em especial, ao setor público através da extinção de ministérios e anúncios com intuito de fortalecer o Estado Mínimo, desta vez com ataques no INSS e Ministério da Saúde.

O SINDIPREV/SE tem se empenhado ao máximo para participar das mobilizações e discussões para manter a estrutura que garanta a preservação, no mínimo, das garantias dos trabalhadores. Vejam as atividades desta semana:

• Participação do diretor Júlio Lopes na reunião com a Direção do INSS sobre as demandas do Serviço Social e Reabilitação Profissional;


• Participação do Coordenador Joaquim Antonio no Comitê de sindicatos sergipanos na construção e implantação de Campanha de esclarecimento aos trabalhadores sergipanos;
• Participação do diretor Júlio Lopes na palestra realizada pelo SINTUFS no dia 28,quinta: "Crisis de las pensiones em Chile - el negocio de las AFP´s"


• Participação, em Brasília durante toda semana. do diretor Wágner Queiróz no acompanhamento político da MP 873/2019 e Desmonte estrutural dos Núcleos do Ministério da Saúde;


• Participação do diretor Deivid Christian na reunião do CGNAD que acontece em Brasília;


• Palestra do Coordenador Geral do SINDIPREV/SE, Joaquim Antonio, no auditório da CUT sobre o Projeto da Reforma da Previdência e a MP 873/2019, hoje 29, a partir das 08:30h.

O SINDIPREV/SE investindo alto para esclarecer os trabalhadores e nos debates realizados em Brasília contra o desmonte do setor público.

O SINDIPREV/SE NÃO FOGE A LUTA!

Por: Marcos Jefferson (DRT/SE 376)