SINDIPREV/SE NAS RUAS EM APOIO AO ENSINO PÚBLICO DE QUALIDADE E CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Todos os trabalhadores em defesa da Previdência e Educação Pública

31/05/2019 06h:16

Como se não bastasse a crise política, econômica e social, o Governo ataca friamente as Instituições Públicas de Ensino com frases de efeitos, matérias preconceituosas e, principalmente, com corte de verbas em programas e projetos de suspensão das pesquisas e ensino. O Governo tentou, de forma grosseira e ditatorial, criar um cenário de golpe contra a nação, quando Ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou por meio do MEC uma nota em que estimulava que pais e alunos fizessem denúncia à ouvidoria do órgão caso presenciassem a divulgação dos protestos durante o horário escolar.

O ataque do Governo às Instituições Públicas através do projeto de desmonte galopante do Estado Mínimo, levou os servidores públicos, mesmo os eleitores de Bolsonaro, a questionarem o apoio ao que sustenta as suas famílias e proporciona, ao brasileiro, uma prestação de serviço pública. Será que vale à pena manter o apoio a quem destrói o setor público, privado e rural?

O SINDIPREV/SE presente em todos os atos contra a “DEMOCRACIA” e desmonte do setor público, convocou a sua base e marchou junto a milhares de estudantes, professores e demais categorias, pelo centro de Aracaju até o Viaduto do DIA, numa das maiores manifestações ocorridas em terras sergipanas.

O Coordenador Geral do SINDIPREV/SE, usou a fala para denunciar o “CAOS” NO INSS, MINISTÉRIO DA SAÚDE e TRABALHO, pelo ataque covarde do Governo a este setor. A falta de concurso, reajustes e diálogo, impõe uma mordaça na classe trabalhadora que busca saídas para a política do Estado Mínimo.

O MTb foi extinto no primeiro ato de Bolsonaro, sem o direito aos trabalhadores de dialogarem e demonstrarem a importância do Ministério aos Trabalhadores brasileiros. O INSS passa a pior crise por falta de concurso público e modelo de gestão qualificada que invista em modernização, capacitação e concursos. O Ministério da Saúde está sobrevivendo com o temor da extinção dos Núcleos e auditorias, recém proposta pelo Governo mas, através de ação contundente dos sindicatos, conseguiu excluir do Decreto a extinção. As gratificações de produtividade também seguem ameaçadas pelo Governo que aumenta a pontuação das metas no intuito de diminuir ou extingui-las, como aconteceu com a auditoria do Ministério da Saúde com perda de percentual da GDASUS.

O SINDIPREV/SE segue na mobilização dos trabalhadores para a GREVE GERAL convocada para o dia 14 de junho onde grande número de trabalhadores do Ministério da Saúde e INSS já disseram SIM à GREVE.

 

Por: Marcos Jefferson (DRT/SE 376)