SINDIPREV ENCERRA O ANO NAS RUAS DE ARACAJU EM DEFESA DO SETOR PÚBLICO GRATUITO E DE QUALIDADE

Não para e não foge à luta!

10/12/2020 18h:29

O SINDIPREV SERGIPE, conhecido pelo ímpeto de luta e organização, participou hoje, 10, do Ato Unificado em defesa da autonomia da UFS e contra a REFORMA ADMINISTRATIVA, proposta pelo Governo Bolsonaro ao propor o FIM DO SETOR PÚBLICO.

O dia nacional de mobilização em defesa dos serviços públicos e contra a reforma administrativa foi marcado por protesto, logo cedo pela manhã, na porta da UFS, campus São Cristóvão, para fortalecer a luta em defesa da autonomia universitária.

Com base em subterfúgios para acelerar o processo de desmonte das estatais e do serviço público, conforme proposto no projeto de reforma administrativa enviado ao Congresso Nacional, o governo de Jair Bolsonaro volta a atacar os direitos do funcionalismo público por decretos e portarias. A medida, traduzida em revisão de duas mil normas trabalhistas, levará a que os servidores públicos amarguem menos direitos e salários, combinada com mais desigualdade e exploração. Para isso, conforme notícia veiculada pelo jornal O Globo, edição da quinta-feira (8/10), a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho prepara estudo para apresentar à equipe econômica.

Um dos principais argumentos em defesa desse projeto é o de que o Brasil teria muitos servidores públicos. Segundo levantamento da OCDE (Organização Para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) em 30 países, o Brasil ficou em 26º lugar no tamanho do serviço público, mesmo tendo a quinta maior população do mundo.

Além disso, outro argumento do governo é o de que todo servidor ganha muito. Contudo, de acordo com dados do Atlas do Estado Brasileiro, o servidor brasileiro nos municípios ganha em média R$2.900. Os altos salários estão concentrados entre juízes, deputados, militares e no ministério público, funções que não serão afetadas pelo projeto do governo.

Faz parte da agenda governamental o desmonte da máquina pública e o incentivo às privatizações. Defender o serviço público e, consequentemente, a Caixa 100% pública, de desmontes promovidos pelo governo, é defender o Brasil. 

 

“A Reforma Administrativa “jogará” no limbo o serviço público gratuito e de qualidade”, comentou o coordenador Geral do SINDIPREV SERGIPE, Joaquim Antonio, que reforçou afirmando que o retorno dos bilhetes de politiqueiros irá pressionar os seus indicados a prestarem serviços exclusivos a quem “arranjou um emprego” a uma pessoa necessitada.

O Coordenador Joaquim, também chamou a atenção para cobrar dos sindicatos uma maior participação e mobilização, já que é notório a falta de participação de vários sindicatos das diversas esferas, que fugiram do debate, mobilização e luta.

O secretário geral do SINDIPREV SERGIPE, Deivid Christian, fez uma análise da atual situação do INSS que, pela falta de concurso e investimento, deixa de prestar serviços, em um prazo menor, devido à falta de servidores, tecnologia e visão de gestão.

O ano termina com o SINDIPREV SERGIPE nas ruas em defesa do Setor Público de qualidade, além das plenárias, assembleias e reuniões na organização e mobilização da classe trabalhadora.

 

 

Por: Marcos Jefferson (DRT/SE 376)

O SINDIPREV SERGIPE NÃO PARA E NÃO FOGE À LUTA

Gestão 2020/2024

Coordenador Geral: Joaquim Antonio